O NEOLÍTICO (de 12 mil anos a 5,5 mil anos atrás)

 

  • uma grande mudança marcou o fim do Período Paleolítico e o início do Período Neolítico: o desenvolvimento da agricultura e da pecuária
  • há cerca de 12 mil anos, alguns grupos humanos começaram a cultivar plantas e a criar animais
  • o desenvolvimento da agricultura e da pecuária causou uma grande transformação no modo de vida desses grupos
  • os seres humanos perceberam que as sementes que caíam no chão davam origem a novas plantas, começaram a enterrar as sementes e descobriram que, tempos depois, essas sementes germinavam
  • na mesma época, começou também a domesticação de animais:

          - o primeiro animal domesticado, ainda no Paleolítico, foi o cachorro

          - no Neolítico outros animais passaram a ser domesticados: carneiros, cabritos, bois

          - a domesticação do cachorro foi muito importante no Neolítico: alerta de chegadas de animais ferozes e de grupos de inimigos, auxiliavam na captura de animais durante as

            caçadas

  • a agricultura combinada com a pecuária teve grande impacto na vida das primeiras populações:

          - agricultura: fornecia cereais

          - pecuária: fornecia carne, leite, lã e couro (vestimentas) e facilitava a realização de várias tarefas (arar a terra para plantar)

  • resultado: houve um grande aumento na oferta de alimentos, com a produção de excedentes (o que se produz além do necessário para a sobrevivência) que podiam ser armazenados

          - consequência: aumento da população que passou a se fixar nos vales férteis dos rios, formando as primeiras aldeias

          - o ser humano foi deixando a vida NÔMADE e foi se tornando SEDENTÁRIO (foi fixando residência)

 

A MESOPOTÂMIA

 

  • “entre rios”: região do Oriente Médio, entre os rios Tigre e Eufrates
  • em certas épocas do ano, os rios Tigre e Eufrates enchiam e inundavam as suas margens: as águas eram canalizadas e utilizadas para a irrigação do solo, tornando-o apropriado para o desenvolvimento da agricultura
  • vários povos se fixaram na Mesopotâmia, aproveitando a fertilidade de seu solo: no decorrer de milhares de anos, desenvolveram importantes civilizações, como a dos sumérios e a dos babilônios

          - além deles, outros povos também habitaram a Babilônia, como assírios e caldeus

  •           - alguns desses povos já viviam ali e outros vieram de lugares distantes, atraídos pela riqueza da “terra entre rios”: eles travaram muitas lutas pelo domínio da região, com o sucessivo domínio de um povo sobre o outro

          - esses povos, com línguas e costumes diferentes, exerceram influências culturais uns sobre os outros: assim, adquiriram semelhanças na religião, nas técnicas de construção e

            na escrita

          - por causa dessas semelhanças, eles são conhecidos como “povos mesopotâmicos”

 

1. As sociedade mesopotâmicas

 

  • A estrutura da sociedades mesopotâmicas eram da seguinte forma:

          - REI: era tido como representante dos deuses na terra, tinha grande poder e raramente era questionado

          - SACERDOTES, NOBRES, CHEFES MILITARES: faziam parte de uma minoria privilegiada e ocupavam os mais altos cargos do governo, exercendo forte influência na política e

            na economia

          - FISCAIS, ESCRIBAS, COMERCIANTES: eram subordinados às camadas superiores das sociedades, mas tinhas melhores condições de vida que os demais trabalhadores

          - CAMPONESES, SOLDADOS, ARTESÃOS E ESCRAVIZADOS: a maior parte das sociedades era formada por trabalhadores livres que viviam em condições de pobreza e tinham

            que pagar tributos ao governo

          - os escravizados eram prisioneiros de guerra ou pessoas que perderam a liberdade por causa de dívidas

 

2. O trabalho no campo e na cidade

 

  • na área rural:

          - plantavam principalmente trigo e cevada

          - gergelim e palmeira eram plantados para a extração de óleo usado na alimentação e na iluminação

          - criavam porcos, carneiros e cabritos (carne, lã, leite e seus derivados)

          - bois e jumentos serviam para o transporte e para puxar o arado

  • na cidade:

          - boa parte da produção na área rural destinava-se à alimentação dos moradores das cidades

          - moradores das cidades: comerciantes, artesãos, barbeiros, escultores, carpinteiros

          - muitos trabalhavam em suas próprias residências: eram comuns as moradias serem usadas como oficinas de artesanato, armazéns ou comércio

  • os mesopotâmios tinham relações comerciais com outros povos que viviam em outras regiões: caravanas de mercadores viajavam para diversos lugares para obterem produtos escassos na região mesopotâmica (madeira, pedras preciosas, metais)

          - esses produtos serviam de matéria-prima para a produção de armas e joias, que eram exportadas depois de prontas

          - eles exportavam também tecidos e cevada

  • o governo controlava o comércio e a produção do campo e das cidades, cobrando tributos sobre essas atividades

 

3. A religião na Mesopotâmia

 

  • os mesopotâmicos eram politeístas ( acreditavam na existência de vários deuses)

          - Anu (deus-pai), Shamash (deus-sol), Sin (deus da Lua), Inanna (deusa do amor e da guerra), Enki (deus das águas doces), Enlil (deus dos ventos), Marduk (deus protetor da

            Babilônia), Nidaba (deusa da fertilidade)

  • os mesopotâmicos construíram “zigurates”: construções em forma de pirâmide, onde realizavam cultos a suas divindades

          - também serviam como depósito para armazenar cereais e como ponto de observação de astros celestes

 

4. A escrita cuneiforme

 

  • é uma das mais antigas do mundo
  • foi desenvolvida pelos sumérios no quarto milênio antes de Cristo
  • seu nome vem de “cunha”: formato do instrumento de junco utilizado para gravar os sinais em tabletes de barro úmidos
  • após serem gravados, os tabletes eram secados no sol
  • sumérios, babilônios e assírios utilizaram a técnica cuneiforme para escrever
  • a escrita facilitava o controle da produção e do estoque de alimentos, dos rebanhos e de produtos têxteis
  • a escrita possibilitava o registro da contabilidade dos templos e dos palácios reais