O FEUDALISMO II

 

  • A sociedade feudal era organizada baseada em 3 ordens: os nobres, o clero e os camponeses
  • esse modelo de sociedade era defendido pela Igreja Católica: ela afirmava que desde que o mundo foi criado por Deus, foram distribuídas tarefas diferentes para cada grupo humano:

          - os nobres (bellatores) deviam lutar para proteger o povo

          - os membros do clero (oratores) deviam orar pela salvação de todos

          - os camponeses (laboratores) deviam trabalhar para sustentar a todos

  • essa divisão fazia com que as pessoas aceitassem a desiguldade social entre as ordens, já que as diferenças sociais eram entendidas como uma vontade divina
  • essa divisão também fazia com que as pessoas aceitassem a posição de domínio da Igreja Católica, colocando-a acima do restante da sociedade
  • na sociedade feudal, os papéis de homens e mulheres eram rigidamente estabelecidos:

          - mulheres da nobreza: organização das tarefas dos servos, cuidavam do feudo quando os seus maridos estavam viajando

          - mulheres camponesas: trabalho com a terra e tarefas domésticas, podiam ser convocadas para trabalhar nas residências dos senhores feudais, eram responsáveis por grande

            parte das tarefas artesanais

  • o feudo era uma unidade produtora que tinha a agricultura como base da economia: quase tudo que os moradores necessitavam era produzido no próprio feudo
  • um feudo medieval, geralmente, era composto por:

          - PEQUENAS IGREJAS: próximas das aldeias, realização de missas e outras cerimônias religiosas, nelas que os camponeses pagavam o dízimo

          - CASAS DOS SERVOS: agrupadas em aldeias e localizadas perto de um lago ou de uma fonte de água, eram simples cabanas de madeira, com telhados de palha, chão de terra

            batida e mobiliário rústico

          - ATIVIDADES DE ARTESANATO: realizadas por ferreiros, tecelões e sapateiros, trabalhavam também no campo em épocas de colheita ou de muito trabalho

          - MANSOS SERVIS: eram as terras que os servos podiam cultivar, eles eram obrigados a entregar uma parte de sua produção para o senhor (talha)

          - MANSO SENHORIAL: terra de uso exclusivo do senhor, eram os servos quem trabalhavam nele (3 dias por semana) para cultivar os produtos agrícolas para o senhor (corveia)

          - CASTELO: era a residência do senhor feudal e de seus familiares, criados e cavaleiros e, durante ataques inimigos, os moradores do feudo se refugiavam no castelo

          - FORNOS E MOINHOS: para utilizar esses equipamentos, os servos pagavam tributos ao senhor (banalidades)

          - PEQUENO COMÉRCIO: trocas de produtos entre os camponeses, nos feudos maiores podiam se reunir várias aldeias perto do castelo para a troca de produtos

          - PECUÁRIA: era muito importante na economia do feudo, os servos cuidavam dos animais (bois, carneiros, porcos) que, em sua maioria, pertenciam ao senhores

          - TERRAS COMUNAIS (OU CAMPOS ABERTOS): eram terras (formadas por bosques e florestas) que podiam ser utilizadas por todos os moradores do feudo (lenha para o fogo,

            madeira para construções e caça)

  • durante a Idade Média (período histórico do feudalismo), a Igreja Católica se tornou muito poderosa e a instituição mais influente da Europa

          - nesse período, existiam muita fome, guerras e doenças: a mensagem cristã encontrava boa aceitação entre a população

          - grande parte da população da Europa havia se convertido ao cristianismo

          - os cristãos europeus seguiam os ensinamentos e as regras da Igreja

          - com o aumento de fiéis, aumentaram também as doações de terra e de dinheiro que eram entregues à Igreja pelos próprios fiéis

          - a Igreja Católica se tornou a maior proprietária de terras (principal fonte de riqueza) na Europa

          - com mais riqueza e poder, a Igreja também exercia grande influência política

          - através de alianças com reis e nobres, a Igreja adquiria cada vez mais poder e aumentava o número de fiéis

  • o enriquecimento da Igreja criou problemas internos: membros do clero passaram a levar uma vida de luxo e riqueza, se afastando das questões religiosas

          - muitos cristãos religiosos não concordavam com isso e criaram as “ordens monásticas” (recusavam a ostentação e o luxo, buscando uma vida mais simples): beneditinos,

            dominicanos, franciscanos (vida simples, oração, estudo, trabalho e ajuda aos pobres e necessitados)

  • hereges: todos aqueles que negavam a autoridade da Igreja ou que não aceitavam os dogmas (verdades) da Igreja

          - a partir do século XI, os movimentos heréticos ganharam força (cátaros = puros, fraticelli, valdenses)

          - cátaros (sul da França) - acreditavam na existência de 2 divindades: a do Mal seria responsável pela criação de todo o universo material e a do Bem, responsável pelo mundo

            espiritual

          - os cátaros identificavam com o Mal tudo o que fosse ligado à matéria: a sexualidade, a riqueza e a própria Igreja Católica

  • a partir do ano 1.000, começaram a ocorrer diversas transformações sociais, econômicas e culturais na Europa
  • o crescimento da população ocorreu por causa das mudanças nos métodos de produção, que aumentaram a oferta de alimentos:

          - rotação trienal de culturas - as áreas de cultura foram divididas em 3 campos: enquanto 2 eram cultivadas, uma permanecia em repouso

          - charrua – arado munido de uma lâmina de metal que podia revolver mais profundamente o solo

          - introdução do cavalo para puxar o arado – mais forte e mais rápido do que o boi

          - colhera de espáduas (atrelagem no peito) – concentrava a força de tração no peito do animal, aumentando a sua eficiência

          - difusão dos moinhos movidos pela água ou pelo vento – houve um aumento na oferta de farinhas de cereais, melhorando a qualidade da alimentação

  • no final do século XI, os cristãos da Europa organizaram expedições militares para reconquistar a “Terra Santa” (Palestina, mais especificamente a cidade de Jerusalém) dos turcos

          - motivo alegado pela Igreja: expulsar os turcos que haviam conquistado a Palestina e dificultavam as peregrinações dos cristãos aos lugares onde Jesus viveu

          - outros fatores que incentivaram as Cruzadas: a população havia aumentado e não existiam oportunidade de trabalho para todos na Europa, muitos nobres que não possuíam

            terra acreditavam que poderiam viver aventuras e conquistar riquezas no Oriente, os comerciantes europeus tinham interesse em estabelecer novas relações comerciais com o

            Oriente

          - foram realizadas 8 Cruzadas: a primeira partiu da Europa em 1.096

  • consequências das Cruzadas: intensificaram as atividades comerciais na Europa, aumento do consumo de produtos orientais (especiarias: cravo, canela, gengibre, pimenta-do-reino), a navegação no mar Mediterrâneo (controlada pelos árabes) passou a ser realizada por mercadores europeus, com o aumento do comércio, as cidades europeias cresceram e muitos comerciantes enriqueceram

          - esses fatores contribuíram para enfraquecer o poder dos nobres e desestruturar o sistema feudal